Choro e sofro, que bom #2

Por muito chorei, e choro, de tristeza pelo mundo, mas há pouco andei chorando de alegria. Engraçado que quando muito triste, choro, e quando extremamente feliz, choro também. Essa condição me espanta! Creio que expressamo-nos mais pura e sinceramente através do choro. Uma vez disse – e continuo dizendo – que apenas realmente conhecemos alguém depois de ver esse alguém chorando, orando ou extremamente irritado. Quem chora geme na alma e não está se importando com o julgamento do outro. Quem ora a Deus não pode esconder o que pensa ou sente. Quem está extremamente irritado deixa a boca falar do que o coração está cheio” (Lucas 6:45)

O choro pela tristeza envolve uma dor pelo sofrimento alheio que é impronunciável, e a única maneira de expressá-la é através do gemido da alma – talvez seja por isso que, como está escrito, o Espírito Santo intercede por nós com gemidos inexprimíveis, aliás, acho interessante que o verbo orar pode ser encontrado como parte do verbo chorar. E como cristãos devemos chorar. Jesus disse bem-aventurados os que choram.” Entristecer-se faz parte da felicidade do cristão.

Alegro-me por ser capaz de me entristecer. O cristão deveria se entristecer quando apenas se alegra, e alegrar-se quando se entristecer – por aquilo que de fato é triste, é claro! Num mundo assim é imoral ser feliz. Pode-se estar feliz, mas ser feliz, não. Estar feliz é uma coisa, ser feliz é outra, e ser feliz, nesse mundo, creio ser imoral (explico isso neste texto).  

Isso não quer dizer que devemos ser chorões, mas que devemos chorar. Uns choram mais fácil – sei de mim! Choro por qualquer coisa! – outros quase nunca choram – tenho amigos que até hoje nunca vi chorar! Mas certamente não é de fragilidade emocional que Jesus estava falando quando disse o que disse. Esse choro não é apenas um derramar de lágrimas; não é apenas um sentimento intenso. Esse choro tem a ver com amor. Quem ama, se importa. Quem se importa, chora. Seja com lágrimas ou na alma. Quem ama, se importa e chora. Seja de alegria ou de tristeza, chora. Seja com ou sem lágrimas, chora.

Algumas lágrimas derramadas por uma pessoa demonstram mais respeito do que mil aplausos e mais misericórdia do que mil palavras.

O fato de nós nos expressarmos mais intensamente através do choro, seja por estarmos alegres ou tristes, diz muito a respeito do tipo de mundo em que vivemos. Se as maiores alegrias desse mundo, como se reencontrar com velhos amigos, rever parentes amados, casar-se, segurar seu recém nascido e ir à Disney no aniversário (sim, andei assistindo a vídeos no youtube!) são expressadas através do choro, entendo que esse mundo é uma tragédia, pois até minhas alegrias devem passar por lágrimas. Esse mundo é triste, e quando alegre, chora de alegria. Li de um colega que a regra é a tristeza, enquanto que a alegria é apenas uma breve interrupção em nossa triste existência. Falando de maneira geral, concordo. Dada a situação do mundo, poucos podem dizer que se alegram mais do que sofrem – ainda mais quando percebemos que a maioria da nossa alegria é à custa da tristeza e sofrimento do outro.

O menor, e em minha opinião, mais profundo versículo da Bíblia, é este: E Jesus chorou. Não creio que Jesus chorou por Lázaro ter morrido, mas porque pessoas morrem. Ele é a ressurreição, está escrito, assim Ele poderia ter ressuscitado Lázaro a qualquer hora. Então por que chorar por algo sobre o qual se tem completo domínio? Por que chorar por um problema que já tem solução? Mas não, acho que foi a condição de Lázaro como mortal que levou Jesus ao choro, e não sua morte. Jesus deve ter chorado por estarmos fadados à morte e à desgraça; pela condição do homem.   

Onde quero chegar com tudo isso? Nisto: Quem não chora não se importa. Veja, já não podemos fazer nada para mudar o mundo – e não me venha com “seja a diferença que você que ver no mundo” – então pelo menos deveríamos chorar por ele.  Quem de fato pode mudar o mundo, não quer mudá-lo. Os ricos e poderosos que podem, literalmente, tirar o mundo da miséria não o querem fazer. Então cabe a nós que somos incapazes de mudar o mundo chorar por ele. É o mínimo que se espera de alguém de quem nada se espera. Pelo menos o choro diz “não consigo, mas se conseguisse, faria!”.

Sei quem me ama. Aqueles que choraram por minha conversão (que Deus lhe abençoe mãe), por meus sofrimentos, por minhas alegrias, que choraram comigo em tragédias e perda de amigos, esses me amam. E também sei quem amo, pois choro por quem amo e intercedo por eles diante de Deus.

Quem ora e chora por você o ama, saiba isso.

Guilherme Adriano

Comentários

Lara disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Day disse…
Isso me fez lembrar o quanto já me importei(chorei) por pessoas, e de como consegui passar pra triste estrada dos que não se importam tanto assim.

Sábias palavras.
Nalbert Farias disse…
A palavra de Deus em Eclesiastes 7:3 diz: "Melhor é a mágoa do que o riso, pois com a tristeza do rosto se faz melhor o coração".
E isso não deixa de ser verdade. Quando choramos por algo, acabamos vendo um mundo de outro jeito. E Deus, quando vê o nosso choro, desce do seu trono para nos dar um sorriso de alegria. Talvez não seja no sorriso que esteja a sua transformação, mas sim, no ministério do sofrimento, pois é o momento em que suas lágrimas se transformam em uma oração.
John L.S. disse…
Muito bom as linhas, reconheço como prosa de muita valia; que, ao meu ver, deixa em claro o entendimento vocativo.
"Digno é o Cordeiro de Deus"!

http://www.recantodasletras.com.br/autores/joaoleao.

John