Foi Eterno Enquanto Durou


Queridos leitores, depois de mais de 10 anos de devoção fervorosa, incessantes estudos, leituras e conversas, cheguei ao fim (ou ao começo). Renasci de novo. Não me identifico mais como cristão. Continuo admirando Jesus e acreditando que a bíblia é a maior e mais influente antologia da antiguidade. Mas sendo sincero ao que sei, ao que vi e vivi, não posso mais fazer de conta que Deus é o que se crê no cristianismo. Há dias que me confesso ateu, outros agnóstico, há ainda outros em que vejo tanta beleza no mundo que uma certa nostalgia espiritual aflora e sou quase cristão de novo, mas para todas razões práticas, sou descrente, apóstata melhor dizendo. 

É muito bom saber que por uma década escrevi aqui e tive a oportunidade de alcançar tanta gente e de ter conversas maravilhosas. Isso é ser humano, conversar. Não foi nada fácil deixar a fé. Aliás, quem deixa a fé não a deixa, mas é deixado por ela. Então melhor dizendo, não é nada fácil encontrar-se deixado pela fé. Quem já passou pelo que passo sabe o chute no estômago que é olhar nos bastidores e entender que a peça não tem diretor. Entretanto, estou bem. Melhorando, na verdade. Começo a me encontrar, fazer as pazes com demônios pessoais, me perdoar, entender meu passado e me livrar de preconceitos religiosos; estou reaprendendo o que é ser feliz e amar. O amor existe, a esperança existe, a beleza existe e mesmo a fé existe - e são bem reais independente de convicções religiosas! Paulo foi mais eloquente quando entendeu isso. Todavia, ao contrário dele, não vou sair pregando meu evangelho secular. Entendi quem sou e isso me basta. Essa graça me basta. Sei quem Jesus foi e isso me basta. Sei o que a bíblia diz e isso me basta. Deus é [o] amor e nisso ainda concordamos.

Aqui encerro uma incrível jornada. Aqui fecho esse diário. Este blog está oficialmente terminado. 


Que a paz esteja com todos. 
Obrigado por acompanhar meu diário espiritual.

Guilherme Adriano

Comentários