Fugir

Às vezes me achei bom demais para sociedade e quis fugir, isolar-me, mas daí percebi que sou tão vil quanto julgava ser o resto dela. Ao querer libertar-me das amarras da sociedade, mal percebi que estava me amarrando à minha própria concepção de liberdade, que em termos, não é senão a alienação da vida em comunidade. Creio que ser livre da sociedade é ser escravo da fé na autossuficiência. A sociedade não é má. Sociedade nem sequer pode ser algo de fato, pois não é sujeito consciente. Nós, que formamos a sociedade, somos maus. A sociedade, coitada, acaba sendo caracterizada com nossos adjetivos.  Concordo com Kierkegaard quando diz que desespero é o sentimento que surge quando entendemos que não podemos fugir de nós mesmos. Porém, por ser cristão, conheço uma maneira de mudar as coisas: cruz.

Guilherme Adriano

Comentários

Muito bom, eu nunca tinha pensado nesses termos..
bjus
Muito bom, mano! Uma coisa que você falou me chamou a atenção. Temos sempre aquele velho hábito de personificar as coisas, assim fica mais fácil dizer de quem é a culpa. Culpa da sociedade, culpa do sistema, culpa dos meios de produção, etc. Muitos dizem, por exemplo, que a culpa por várias mazelas da sociedade é capitalismo, é do sistema. Mas quem inventou o sistema? Não é o sistema feito de pessoas? Parece que quando atribuímos o problema a um sistema, à sociedade e tal estamos nos eximindo de culpas, como se a gente não fizesse parte e fosse uma célula fora do organismo. Eu frequentemente cometo esse erro. Foi muito bom ler esse texto e reavivar a memória...hehehe