O Dono do Mundo



Ontem estava fazendo meus exercícios noturnos e dando uma longa corrida pela cidade quando passei por um monumento que há em frente à prefeitura de Blumenau, um globo terrestre segurado por duas mãos gigantes que saem de uma fonte. Na hora me lembrei de vários letreiros de igrejas que usam a mesma imagem, sugerindo que aquelas são as mãos de Deus, que sustenta o planeta. Bastou uns minutos de reflexão sobre aquele monumento e os letreiros de igreja que abandonei essa ideia. Ora, aquelas mãos, por mais que os cristãos usem a imagem para falar de Deus, pertencem ao demônio. O mundo não está nas mãos de Deus, e sim nas do diabo. Quem manda nisso aqui é ele e nós, não Deus. Deus não está no controle do mundo – talvez no comando, mas não no controle. Aliás, Ele é o que menos tem voz por aqui!

O mundo não pertence a Deus, foi criado por Ele, mas não lhe pertence mais – não mais por enquanto! Perceba que Jesus veio resgatar a humanidade (Mateus 20:28), e só há resgate quando há sequestro, rapto. Quando há sequestro, o sequestrado deixa de estar no controle de quem o gerou e é refém da vontade do sequestrador. Mas o que acontece no caso da humanidade, é que os reféns viraram cúmplices. A humanidade, biblicamente falando, sofre da Síndrome de Estocolmo. A humanidade e o diabo partilham do mesmo espírito, e não por serem possuídos um pelo outro, mas por compartilharem as mesmas vontades e objetivos.

Quem controla esse mundo são aqueles que têm as mesmas vontades de satã, e não por ele ter os seduzido a elas, mas porque os homens quiseram-na tanto quanto ele as quis. O mundo está morrendo no maligno (1 João 5:19) porque é dirigido por maldosos, e esse maligno não está sozinho, conta com a ajuda dos homens, seus admiradores. Por isso que Jesus disse que muitos terão o mesmo destino de satanás, pois as vontades são as mesmas!

Deus não é o rei desse mundo muito menos o controla, esse mundo não está em suas mãos. Não é Deus quem sustenta o mundo, aliás, acho que sustentar é um péssimo verbo para descrever o que Deus faz com ele. Ele atura o mundo por meio da graça, mas quem o sustenta/nutre/alimenta é o diabo. Um exemplo talvez ajude. Sou professor, e, ao contrário do que os pais pensam, não sou eu que controlo a aula, são os alunos. Eu aturo a turma e ela controla a aula. Eles são em maior número e têm vontades muitas vezes contrárias às minhas, pois são livres, logo, por mais que tente, quem controla o andamento da aula são eles. No entanto, aturo a turma por graça, por amor, na esperança de que pelo menos alguns vão me ouvir, se interessar e aprender. A maioria não vai, mas alguns vão. E pelos poucos que vão valorizar o que digo e se relacionar comigo vale a pena aturá-los todos mesmo em seus piores dias! A única maneira de controlar uma turma que não quer colaborar é à força, mas daí seria um professor tirano e teria de puni-los severamente o tempo todo até que, por medo, ficassem quietos. Mas como quero o carinho deles, devo respeitar a vontade deles de não querer me ouvir. Não controlo minhas turmas, apenas as aturo, e às vezes, pela insistência, paciência e carisma as ganho! Assim também é Deus, creio. Ele não controla o andar do mundo, mas o tolera. Tolera por graça na tentativa de trazer o máximo de pessoas possível para Seu novo mundo que está vindo. Como professor, tolero meus alunos em amor para vê-los novamente no ano seguinte. Como Deus, Ele nos suporta por amor porque quer nos ver na Nova Jerusalém. Não quero que ninguém reprove e fique para trás, assim como Deus também não quer, mas é uma consequência da liberdade, então quem não quiser estudar ficará para trás por escolha própria, também é isso que lemos na Bíblia. Não controlo minhas turmas, nem as sustento, mas as sofro por amor visando um bem maior, também é isso que lemos da parte de Deus.  

Paulo escreveu (Colossenses 1:13) que fomos salvos do reino das trevas e transportados para o reino do amor de Seu Filho. Então há dois reinos, e onde há mais de um rei, há luta. Também, nesse mundo, somos exortados a nunca tirarmos a armadura de Deus (Efésios 6:11), ora, e quem poria uma armadura para não lutar? Se há armadura, há guerra. Se o cristão é exortado a nunca abaixar o escudo nem tirar o capacete (Efésios 6), pressuponho que é porque está sob constante ataque. E, por fim, Jesus também disse que Seu reino não era desse mundo (João 18:36). E o que concluo de tudo isso? O seguinte:

1- Há dois reinos.
2- Há uma guerra entre eles.
3- O cristão ainda está em terreno ocupado pelo inimigo.
4- Infiltrados, estamos nesse mundo avançando o reino de amor do Filho de Deus.

Está escrito (Lucas 4:5-6) que quando satanás tentou Jesus no deserto, disse-lhe que em troca de adoração poderia dar a Jesus todas as nações do mundo por serem dele, dele! E sabendo isso, como podemos achar que as mãos que sustentam o mundo são as de Deus? Não, não. Esse aqui é território de satã e de seus comparsas, os homens e os demônios. Quem guia as transações dessa babilônia terrestre são as vontades tortas dos homens e do diabo.  

O espírito infiltrado que transita sorrateiramente pelos quatro cantos da terra é o de Deus, o demônio reina por aqui, e reina só porque nós, muito democráticos – democráticos! – elegemos ele para nos governar lá no jardim.  

Mas as novas eleições foram ganhas pelo Cordeiro, e logo o mandato de satanás acaba!!

Guilherme Adriano



Comentários

Anônimo disse…
Disse Jesus: Eu vos envio como ovelhas em meio os lobos.
Thothin Vicent disse…
Concordo professor...quando nossos olhos enxergam o mau,da vontade de partir daqui(daqui da terra)...minha esposa diz que enxergo maldade em tudo,mas na verdade não me conformo com as coisas que acontecem,pior que Sodoma e Gomora...o mau esta maquiado na sociedade,valores morais trocados,esta dentro das religiões que pregam,evangelizam e aceitam o que é conveniente aos seus interesses...pessoas boas e más existem em todos seguimentos...mas também tem as boas que por não sentir incomodo com certas coisas acabam anestesiando suas mentes ao ponto de não enxergar o óbvio...o que sei,é que aos 39 anos esse mundo me aborrece demais...também sei que fazer o bem para alguém é melhor do que dizer mil améns,pensamento meu...não tenho religião...e nas que um pouco conheci,não senti Deus tão presente como querem mostrar...ouvi muitas palavras premeditadas,aliás melhor é escutar o que uma criança tem a dizer,ao invés do que a boca de um adulto premedita,fala o que convém e a quem convém...prefiro acreditar em um Deus que não interfere em nada,que não faz escolhas por enquanto ou já estaria julgando quem merece isso ou aquilo...exemplo:um bandido que matou 4 pessoas leva 8 tiros não morre e um outro bandido atira na cabeça de uma criança e mata(garoto Ryan) qual a lógica ou justiça nisso? que prazer teria Deus em salvar esse bandido? ou qual motivo Deus teria para deixar uma criança ser barbaramente assassinada...um onibus com mais de 40 passageiros sofre acidente,despenca em um barranco,vários mortos,amputados,fraturados,enfim...uma religiosa sofre apenas arranhões e diz: Deus me livrou...eu na situação dela somente agradeceria a Deus poi não conheço a vontade de Deus como posso julgar a vontade dele...seria ela especial ao ponto de outras vidas serem trocadas pela dela?acho que não...perante a Deus somos todos iguais ou não?ou um pai e uma mãe naquela situação tendo 2 filhos envolvidos e um morto outro vivo,diria: o filho que viveu mereceu mais do que o filho que morreu...acho que não...Deus de justiça...nesse eu acredito...abraço professor