Cristianismo e as Mulheres

Acabei de conversar com uma amiga querida que me contou coisas de partir o coração, por isso queria escrever brevemente sobre o relacionamento entre Jesus e a Igreja e maridos e esposas. Já escrevi sobre isso em outros lugares, mas gostaria de lembrar.

Infelizmente, a maneira como Jesus tratou as mulheres não é a maneira com a qual o cristianismo tem tratado as mulheres. Paulo escreve assim, que nós homens, devemos tratar as esposas assim como Jesus tratou a igreja, e as mulheres devem sujeitar-se a seus maridos como a igreja se sujeita a Jesus. Machismo? Não. Claro que não. Preste atenção e pergunte-se, "como foi que Jesus tratou a igreja?" Eu respondo, Ele deu a vida por ela. 

Jesus não fez a Sua vontade, mas a do Pai em favor à igreja. Como devem os maridos tratar suas esposas? Da mesma maneira, deixando suas vontades de lado e fazer a vontade de Deus em favor da esposa.

Jesus deu Sua vida para edificar a igreja, através de sua morte a igreja recebe vida. Como devem os maridos tratar suas esposas? Da mesma maneira, usando suas vidas para edificar a esposa e, se preciso, dar suas vidas por elas.

Jesus amou a igreja incondicionalmente, e a igreja, em resposta a esse amor, responde em respeito e submissão. Como deve ser o relacionamento de marido e mulher? Da mesma maneira, o marido ama primeiro, ele é o homem e deve fazer seu papel de amar e se sacrificar para edificar a esposa. E a esposa? Ela deve fazer como a igreja e responder ao amor do marido como a igreja responde ao amor de Jesus.

Tente imaginar quão maravilhoso é acordar ao lado de alguém cujo único propósito na vida é morrer para si mesmo e viver para o outro. Que coisa linda deve ser acordar e olhar para o lado e ver ali, deitado, a pessoa que não hesitaria por um segundo dar a vida por ti. Um casal que pensa assim é feliz apesar de tudo mais. Brigas virão, mas não importa, porque no final da briga ainda estarão lá duas pessoas que estão dispostas a morrer uma pela outra. 

Morrer para si e viver para o outro é a essência do Evangelho e a base para um relacionamento amoroso, não um sem problemas, mas um que aguente atravessá-los e decide mantê-lo apesar dos problemas. Um relacionamento baseado no Evangelho é um que aguenta vias sacras e crucificações, e que depois de toda angústia da dor e do sofrimento, volta à vida imaculado e glorificado. 

A vida de Jesus foi marcada por três coisas, amor, sacrifício e sofrimento. Sei que todos concordarão que a vida de um casal deve ser marcada pelo amor, mas e o que vocês me dizem do sacrifício e sofrimento? Pois é, pra dar certo, vão ter que sofrer, um pelo outro e um ao outro, e, sofrendo e sofrendo-se, sacrificar-se um pelo outro e nunca um ao outro!

Casais, tenham em mente os verbos santificar, edificar e sacrificar, que na verdade, podem ser todos resumidos num só: amar.

Guilherme Adriano

Comentários

KRÜGER disse…
Concordo. O marido deve amar sua mulher como Jesus ama sua igreja. Lembrando que amar não significa fazer todas as vontades do outro, muito menos concordar com suas atitudes, mas caminhar juntos visando um objetivo comum. Cristo deu a sua vida pela igreja, mas não deixou de admoestá-la:
- tenho contra ti que deixaste o primeiro amor;
- sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida;
- tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, mas ensina e engana meus servos;
- porque és morno, não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

Interessante.
Guilherme disse…
Muito bem colocado, "não é fazer a vontade do otro nem concordar com tudo!"

Obrigado pela contribuição! Você é casado mano?
KRÜGER disse…
Positivo colega. Abs.
Day disse…
Aprendendo, aprendendo...