Carpe diem


Não faz muito tempo que escutei da boca de amados do meu coração algo que me traz lágrimas: “Eu ainda quero aproveitar a vida antes de me entregar a Deus” Quão triste é essa afirmação. Pense bem no que você está dizendo. Não falo agora de quão perigosa é essa afirmação no sentido de consequências eternas, mas das verdades que estão por detrás dela.

Quando você diz que quer aproveitar a vida antes de se entregar a Deus completamente, o que você está realmente dizendo? Afinal, que tipo de curtição é essa que não pode ser desfrutada na presença do Senhor? Por que você precisa curtir a vida antes de se entregar a Deus e o que Ele poderia ter contra a sua “curtição”? Pergunte-se: O que haveria de errado nessa curtição que Deus não a toleraria? Por que você precisa estar longe dEle para se divertir?

Ao dizer isso você está afirmando duas coisas: Primeiro que Deus não aceitaria essa sua diversão, por isso o fato de precisar ficar longe dEle, e segundo que você tem consciência disso.

Esse senso de vergonha e de culpa que certas ações nos trazem são a indicação de que não devemos fazê-las.

Quão miserável sou quando tenho que me arrepender de ter me divertido. Prazer legítimo não traz culpa nem vergonha. O divertimento mais saudável e prazeroso é aquele que nos faz rir, e não corar de vergonha; é aquele que nos traz saudades, e não arrependimento. Passar por cima da sua própria consciência para poder se divertir é a pior forma de tortura psicológica que existe. Está escrito que “temos uma lei inscrita em nossos corações”, e essa lei está lá por um motivo: para que saibamos distinguir entre aquilo que edifica e aquilo que destrói. As nossas escolhas e os nossos divertimentos devem estar de acordo com essa lei, ou como popularmente se diz: essa voz. De outra forma não conseguiremos desfrutar daquilo que fizermos pois sempre haverá algo nos condenando e dizendo: “você não deveria estar fazendo isso”.

Deus não é contra a diversão! Ora, Ele foi o criador dela. Foi Ele quem nos capacitou a ter prazer e desfrutar das coisas. Certamente Ele quer que sejamos felizes e desfrutemos da vida. Mas o que me intriga é o porquê de muitos acharem que a vida só pode ser aproveitada longe dEle. Sendo Ele o criador da diversão e do prazer certamente Ele não teria problema algum em ver seus filhos se divertindo. Se você precisa se afastar de Deus para se divertir você não acha que há algo de errado na sua diversão? Que tipo de diversão tem que ser feita às escondidas; longe da presença de um Deus bom e amoroso?

A questão fica clara quando paramos para definir o que é “diversão”, pois Infelizmente muito daquilo que chamamos de diversão Deus chama de autodestruição. Muito daquilo que chamamos de prazer Deus chama de vício e escravidão: Você pode achar que fumar é muito divertido, todavia o seu médico certamente teria uma opinião diferente. Da mesma forma muitos de nós temos como “divertidas” coisas que Deus tem como “nocivas”. O não de Deus não é arbitrário e ditatorial, mas tem uma razão, e essa é sempre de proteção. É para o nosso bem. Se Ele diz não, é porque está visando um bem maior do que o prazer momentâneo que tanto queremos.

Será que então tudo que você tem como divertido passa pelo critério de Deus? É bem simples de saber isso, apenas responda: O seu divertimento envolve a desgraça de alguém? É nocivo?

Pois como pode que o nosso divertimento muitas vezes é motivo de desgraça para outra pessoa? Será que a morte, a prostituição e a desgraça podem ser consideradas divertidas? Das duas uma: ou Deus é sádico ou nós, humanos, somos caídos.

Rimos daquilo que não é engraçado e nos entretemos com a desgraça alheia. Sim, o homem caído é assim terrível: acha graça naquilo que é motivo de tristeza e humilhação para outros. Como podemos da risadas daquilo que é motivo de dor para o outro? Não consigo ver como o anão explorado de shows humorísticos possa ser engraçado. Certamente se eu fosse anão não acharia graça da minha condição. O pobre que não tem dentes não é engraçado, é coitado, e o fato de ele não ter dentes é motivo de humilhação e vergonha para ele, como posso então rir da dor dele? Que crueldade e egoísmo domina o meu coração quando que para me divertir tenho que machucar alguém? Isso é diabólico irmãos. Se a minha diversão é motivo de humilhação para outrem, então a minha risada já não é mais fruto da alegria de um coração feliz, e sim da zombaria de um coração impiedoso. Quando as minhas risadas são provocadas pela dor e vergonha de alguém, já não são mais risadas de divertimento e sim de escárnio, que é fruto de um caráter diabólico. Só o perverso acha graça na dor e consegue se entreter com a morte.

Ao contrário do que a televisão brasileira tem nos ensinado há tantos anos, a mulher considerada feia, o homem sem dentes e o anão não são pessoas engraçadas, são coitados que sofrem pela sua condição e deveriam ser o objeto de amor, carinho e compaixão, e não de risadas. Certamente se você fosse o feio desdentado ou defeituoso você concordaria comigo. Por que você se acha no direito de usar a dor de um ser coitado para a sua própria diversão?

Já disse o filósofo: “A crueldade é o passatempo favorito do homem”

É nojento saber que os filmes que mais fazem sucesso e dão dinheiro são os que tratam o ser humano como um saco de carne, ossos e sangue; desprovido de personalidade, vontade, dignidade e sentimentos, e que serve somente, e enquanto, nos proporciona prazer. É de revirar o estômago de qualquer homem de bem ver os milhões que indústria do entretenimento faz às custas da exploração, abuso e profanação das pessoas. Traz-me lágrimas saber que nossas crianças se entretêm com a mutilação, assassinato, estupro e roubo virtual. Sim, é virtual; nada daquilo é real, exceto o prazer que se sente ao matar, assassinar e roubar. Sentimentos não são virtuais, são bem reais. Você mata alguém que não existe e nunca existirá, mas o seu coração está gozando o prazer dessa morte, seja ela virtual ou real. Não diria que é na mesma intensidade, mas é uma prévia. A diferença entre os romanos que se divertiam com as mortes do coliseu e os nossos jovens com seus vídeo games é uma tela. Nos dois casos a morte é real. Num ela é real na mente e na realidade, na outra ela é real na mente e na virtualidade do game. A indústria do entretenimento nos oferece aquilo que queremos: violência, traição, prostituição, assassinato, ocultismo, intriga, terror, abuso, etc. Se nós gostássemos de gastar nosso tempo com aquilo que é louvável, de boa reputação, amável, engraçado e saudável, certamente seria isso que ela nos ofereceria, afinal, o mundo nos oferece o que mais queremos.

Nós odiamos a paz, e por isso nos divertimos coma violência e vivemos em guerra, seja literal ou relacional. Nós odiamos o amor e a fidelidade, e por isso valorizamos o corpo e desprezamos a pessoa; incentivamos a paixão e desmotivamos o compromisso. Nós odiamos a liberdade e a satisfação, e por isso fizemos questão de arranjar meios para nos manter sempre viciados e insatisfeitos correndo atrás da próxima descarga de alívio. O homem odeia Deus e seus planos, gosta mesmo é desse mundo e do seu pecado, custe o que custar, machuque quem machucar, o que importa é a minha risada e o meu divertimento; o meu alívio e o meu prazer.

Entenda que essa não é uma representação pessimista e fatalista do comportamento humano, mas é o quadro mais real que pode ser pintado a nosso respeito. Você sabe tão bem quanto eu que ri de coisas que não deveria rir, e que se sente mal por fazer isso. Você sabe muito bem que faz coisas que, no fundo, não queria fazer; que os seus pensamentos, vontades e cogitações se pudessem ser vistas e ouvidas por todos como que numa televisão, trariam enorme vergonha. Mas o homem caído é assim: engrandece aquilo que é abominável e corre atrás daquilo que destrói.

Peter Kreeft disse “Nós exaltamos a prostitua acima da mãe”. Porventura não é verdade? Não é essa a imagem que o mundo nos dá? Castidade, compromisso, fidelidade, exclusividade e amor são coisas antiquadas, o que é realmente bom é a libertinagem, a experiência, o descompromisso, a aparência e o momento. Nós realmente supervalorizamos a prostituta e ridicularizamos a mãe. Incentivamos o rapaz a ser macho e não homem; a marcar território e rugir alto, mas não ensinamos nossos filhos a serem homens respeitáveis que sabem conversar. A maternidade e a família são conceitos ultrapassados, a mentalidade agora é a do orgasmo e do utilitarismo. Ser bonita não é o suficiente, é preciso ser gostosa e desejada por todos. Os conceitos que nós exaltamos certamente são aqueles que Deus abomina, e com razão. Jesus disse que “Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação” (Lucas 16.15)

O homem cultua aquilo que Deus mandou abominar; cultiva aquilo que deveria ser eliminado; corre atrás daquilo de que deveríamos fugir e busca aquilo que nos foi dito para evitar. Há algo seriamente errado com a constituição do ser humano, e é mais do que um mero defeito.

Por isso volto a perguntar: qual é o seu conceito de diversão? Por que você acha que deve primeiro aproveitar a vida e depois se entregar a Deus? Será que o seu “aproveitar” não o “destruir-se” de Deus? Afinal, por qual outro motivo você teria que se distanciar dEle para se divertir, senão uma certeza de que está pecando?

Venha para Jesus e se entregue completamente, derrame o seu coração e as suas paixões perante Ele. Seja honesto com Ele e confesse todos os seus pecados e paixões terríveis, Ele não veio para te julgar mas para te salvar. Não só perdoar mas também transformar. Não só ensinar mas também ajudar. Ele muda o conceito de diversão do ser humano. Ele dá novas paixões, novas diversões. Ele não tira de nós o gozo da vida e nos proibi de nos divertirmos, pelo contrário, Ele nos ensina a sermos felizes e desfrutarmos da vida da forma certa: sem culpa e levando em consideração a vontade do Criador. Ele liberta do vício e nos possibilita a satisfação. Ele nos dá “vida e vida abundante”. Desista do mundo e dos seus vícios e se entregue a Cristo que te ama. Pare de se enganar dizendo que quer aproveitar a vida. Você mesmo sabe que não está aproveitando e sim se destruindo, e com você, todos aqueles que te amam. Acorde! Por favor, acorde! Não deixe a vida ser só amargura e tristeza para voltar a Deus, faça isso agora enquanto há tempo de mudar sua vida. Deus te ama e quer te salvar, mas Ele não fará nada que você não queira.

Se você crê nisso e quer começar de novo; ter uma segunda chance com Deus e com a vida. Ore assim “Deus, eu rejeito todas as más influências que esse mundo perverso exerceu sobre mim; eu condeno todo o mal do meu coração e peço que Tu arranque-o de mim. Perdoa-me os pecados e me dá o Teu Espírito e o Teu amor. Esquece-te da minha vida até hoje e me dá um novo começo. Eu acredito que Jesus Cristo é o Teu Filho, e O aceito como meu Senhor e Salvador. Eu acredito que os meus pecados foram pagos naquela cruz, e de hoje em diante quero viver para ti. Faz-me nascer de novo pois quero ser Teu filho. Em nome do Teu Filho Jesus, Amém” Essa oração é simples e não tem nada de mágica, se você a fizer sinceramente, “o Pai que escuta em secreto a responderá em secreto”.

Espero que as palavras desse texto possam chegar até o seu coração e incomodá-lo(a) Real diversão e aproveitamento você só encontrará com o Senhor Deus, de outra forma, será apenas uma desculpa para se destruir e pecar.

Guilherme Adriano

Comentários

Bruno Barreto disse…
Lindo, maravilhoso! Estou aprendendo a viver deste modo e se eu pudesse ajudar as pessoas que leem este texto eu diria para elas serem bem honesta com elas mesmas e não caírem nos enganos mundanos, tirem todas essas roupagens imundas que o mundo fez os colocarem e viva o "PRESENTE" com o Pai no coração, pois o passado nem o futuro nos ajudam, somente nos trazem depressão(Passado) e ansiedade(futuro), eu sofri muito até aprender esta lição e deixei muitos irmãos com feridas por este modo que levei a vida, hoje quero ser diferente e peço a Deus para que me ajude pois minha carne é fraca e só me trouxe sofrimento até hoje! Sejam humildes pois o pai ajuda de uma maneira que eu não conseguiria espressar, somente dizer que é um MILAGRE maravilhoso! Que a vontade do pai seja feita em nossas vidas" Amém