Tatuagens e piercings



Há pecados que são explícitos e inquestionáveis. Eles estão muito bem descritos na Bíblia. Mas há certas coisas que simplesmente não sabemos direito, ou que não estão bem claras se são ou não são pecados. Para esses casos, graças ao bom Deus, Paulo nos deixou muita coisa escrita no livro de Romanos.
--
É pecado ter tatuagem e piercing?
--
É uma pergunta muito simples, porém temo que a resposta não seja tão simples assim. Não pretendo resolver o assunto com um post; não tenho grandes intenções de responder definitivamente a questão, pois se até hoje não conseguiram, eu é que não conseguirei. Porém espero que esse post possa ajudar.
--
Bom, primeiro acho importante dar uma olhada no conceito de pecado que está sendo apresentado. Quando alguém diz que fumar e falar palavrão é pecado, subentende-se que se eu não fizer tais coisas não estarei pecando e Deus não terá queixas contra mim. Não é tão simples assim. O pecado não é algo que você faz ou deixa de fazer. Eu diria que é muito mais, pecado é um estado de espírito de rebelião, de afastamento e de queda. Prostituição, invejas, blasfêmia, discórdias, brigas, e coisas semelhantes a essas, como está escrito em Gálatas, são sintomas de uma doença mais séria.
--
Deixe-me dar um exemplo: O problema não é assistir um filme pornográfico, o problema é querer assistir um filme pornográfico. Entenda a diferença. O pecado não começa no ato de pecar, mas no desejar pecar. Ele começa do lado de dentro nos desejos e intenções, no nosso coração, e só depois se manifesta do lado de fora produzindo aquela lista de frutos da carne acima. Em Tiago, está escrito “...o pecado uma vez consumado, gera a morte.” Consumado onde? Ora, do lado de dentro. Quando ele se manifesta em ações, gera a morte. Jesus disse no sermão do monte que aquele que olhasse para uma mulher com intenção impura, em seu coração, já havia cometido adultério. Primeiro você deseja fazer algo, depois você faz. Primeiro você toma a decisão de agir, depois você age de acordo com a decisão. Primeiro um assassino decide matar alguém, depois ele mata. O real problema não foi o assassinato, mas foi o desejo de matar alguém - entendo que há objeções a essa frase. 
--
O que Jesus quer não é amedrontar, mas chocar. Ele quer mudança interior para que não haja mais ceras vontades. Ele não disse “Vocês não devem fazer isso, isso e aquilo, portanto mudem!”, Ele disse “Vocês não deveriam fazer isso, isso e aquilo, portanto deixem-me mudar vocês!” Há uma grande diferença entre devem e deveriam. Quando eu digo que “você não deve fazer algo”, subentende-se que você mesmo tem o poder para ser diferente. Quando eu digo que “você não deveria fazer algo”, subentende-se que você não tem o poder de ser diferente e precisa de ajuda. Imagine por exemplo uma mãe instruindo o filho e dizendo que ele não deve mais fazer xixi na cama. Essa é uma ordem, portanto de agora em diante a mãe espera que o filho não faça mais xixi na cama. Agora imagine a mãe dizendo que o filho não deveria mais fazer xixi na cama. Essa é uma lamentação, e a mãe continuará trocando as roupas de cama até o filho aprender a se controlar. 
--
Então entenda que o problema não são os frutos, mas sim a árvore. Não é aquilo que você faz, mas aquilo que você é. Deus abomina o tipo de pessoa que nós nos tornamos e não os nossos maus hábitos. Ariovaldo Ramos costuma dizer que não somos pecadores porque pecamos, mas pecamos porque somos pecadores. Se a nossa condição é de pecado, então aquilo que se manifesta como obra de nossas mãos certamente será fruto do pecado. Pecado é a nossa condição como caídos, e o que Jesus faz é nos transformar dessa condição para a condição de Filhos de Deus, justificados e santificados.
--
Com essa introdução quero que fique claro isto: o pecado não é algo que a gente faz, mas um estado no qual a gente se encontra. Jesus não veio nos ensinar a evitar certas coisas, Ele veio nos tirar desse estado e nos dar uma nova natureza. Enquanto tratarmos o pecado como um mau hábito, uma mania não-bíblica, algo imoral, nunca entenderemos o real problema do ser humano e nem o que Jesus fez naquela cruz. A questão aqui em jogo não é o que eu, Guilherme Adriano, acho que o pecado é, mas sim o que Jesus disse que o pecado é.
--
Mas vamos entrar direto na questão da tatuagem e do piercing. No antigo testamento, no livro de levíticos, está escrito “Não marcarás o teu corpo”. Naquela situação o povo Hebreu tinha acabado de sair do Egito e estava no deserto recebendo os mandamentos de Deus, e um deles era este de marcar o corpo. Várias vezes Deus disse que “o meu povo será diferente dos outros povos”, e que “vocês não devem imitar os outros povos.” O povo Hebreu foi proibido de marcar o corpo com tatuagens, pois eles tinham aprendido essa arte os Egípcios. 
--
Creio que o que devemos observar aqui são os paralelos entre a história dos Hebreus e a nossa como Igreja, pois nessa questão, não há mandamento específico para nós gentios, apesar de crer que a intenção de Deus é a mesma para todos os homens.
--
Sobre o povo Hebreu estava o mandamento de não imitar os outros povos e nem amar o que eles faziam, e sobre nós, filhos adotivos de Deus, cristãos, também está esse mandamento. Sobre os Hebreus estava o mandamento de não cobiçar aquilo que o mundo Egípcio oferecia, sobre nós, cristãos, também está esse mandamento. Esse paralelo nos ajudará muito. Deus tinha uma vontade para o seu povo Hebreu e a sua vontade era a de santificá-los e fazê-los diferentes. Pois Cristo nos incluiu no testamento e a sua vontade também é a de nos santificar e fazer-nos diferente. Deus não nos chamou para sermos diferentes uns dos outros, mas nos chamou para sermos diferentes do mundo.

“Chamamo-nos de cristãos, mas agimos como mundo, falamos como o mundo, andamos como o mundo e cobiçamos tudo aquilo que o mundo cobiça. Se somos cristãos, onde está a diferença?”, disse Paul Washer.

Um dos propósitos de sermos chamados para servir a Cristo é para mostrar ao mundo a diferença que Jesus faz na vida de um ser humano. Creio que o primeiro ponto é este: devemos ser diferentes do mundo.
--
Em 1 João está escrito: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.” Não devemos amar as coisas que esse mundo nos manda amar, cobiçar o que ele nos ensina a cobiçar nem correr atrás daquilo que ele nos manda correr atrás. Por que não? Porque se fizermos isso, estaremos provando que “o amor do Pai não está na gente”. Jesus disse que não se pode servir a dois senhores, ou se serve a Deus em tudo o que se faz, ou se serve ao mundo, também em tudo que se faz. A vontade de Deus para nossas vidas é sempre boa e perfeita, traz aprimoramento, harmonia, amor, sacrifício e santidade. A vontade do mundo nos escraviza, prende-nos a vícios e é prejudicial, egocêntrica e destrutiva. 
--
De acordo com revistas, jornais, músicas, filmes, programas de televisão e livros que vemos por aí - e creio que todos concordarão comigo nisso - que as virtudes mais valorizadas pelo mundo são (1) beleza (externa), (2) riqueza (material) e (3) paz (emocional). Veja bem, não há nada de errado em desejar essas coisas. Não há virtude nenhuma em ser feio, pobre e inquieto. É bom se sentir bonito, ter o suficiente e estar sempre em paz, mas essas não são as virtudes que devemos buscar primeiramente, aliás, essas coisas não são virtudes, mas conseqüências de uma vida reta e justa! Quem ama o cônjuge mais do que a si mesmo cuida do corpo. Quem é disciplinado e responsável não gastará com aquilo que não for pão e terá uma vida financeiramente estável. Há um ditado que diz “quem não deve não teme”, basicamente é isso mesmo, quem não deve nada a Deus não teme e vive em paz. Está escrito “feliz é aquele a quem o Senhor não imputa os pecados, mas o perdoa”. Quem está em paz com o Criador está em paz consigo mesmo, pois a consciência não o acusa mais. Aquele que se arrependeu, Deus o perdoou, Cristo o salvou e o Espírito Santo o restaurou. Portanto desejar essas três coisas (beleza, riqueza e paz) não é errado, mas fazer dessas coisas o objetivo da sua vida é futilidade.
--
O mundo nos manda correr atrás do prazer da justiça e da retidão, e não da justiça e da retidão. E a única forma de obter o fruto da justiça sem esforço é roubando. A única forma de obter a paz que uma vida reta nos traz é nos enganando. Em termos mais simples, o mundo só se preocupa em gozar; gozar do sexo, da vida, do dinheiro, de tudo. O mundo nos ensina a viver como sanguessugas e extrair tudo que for possível de algo (ou alguém) depois jogar o bagaço fora. 
--
O mundo é competitivo, Deus é solidário. O mundo é ganancioso, Deus é generoso. O mundo nos vende ilusões, Deus nos dá verdades. O mundo nos seduz, Deus nos conquista. O mundo nos ensina a paixão, Deus nos ensina o compromisso. O mundo nos faz indiferentes, Deus nos faz amorosos. O mundo valoriza o prazer a todo o custo, Deus valoriza o prazer legítimo. O mundo vicia, Deus sacia. O mundo escraviza, Deus liberta. Quase tudo que o mundo chama de virtudes, Deus chama de frutos da carne. Em que time você quer estar?
--
Este é o espírito do mundo: Você é o seu maior investimento. Você merece. Você pode. Você...você...você, tudo sempre gira ao redor de você. Se você “ama o mundo e as coisas que estão nele”, então certamente vai querer ficar por aqui mesmo desfrutando das coisas que esse mundo tem a oferecer. Mas se você “ama a Deus”, então você vai querer ficar onde Ele estiver.
--
Parece que eu não voltaria mais para o assunto da tatuagem e do piercing, mas aqui estamos novamente. O amor e a paixão que há em nós nos leva a fazer as coisas que fazemos. A pergunta que lhes faço é esta: o que lhe motiva a fazer uma tatuagem ou a colocar um piercing? Por favor, não estou fazendo uma pergunta sarcástica para que com ela você conclua que tatuagem e piercing são coisas erradas, estou sincera e imparcialmente perguntando. O que leva você a querer marcar o seu corpo de uma forma permanente? É o amor por Deus, por alguém, ou pelo mundo? Você está querendo imitar a quem? Há vários motivos diferentes de se fazer uma tatuagem. Uns fazem por homenagem, outros para lembrança, etc. Cada caso é um caso; cada situação é diferente da outra e quase todos os casos são diferentes. De modo algum poderia generalizar e dizer toda forma de tatuagem é pecado, não há exceção.
--
Mas não quero tratar dessas questões raras, dessas exceções. Quero tratar da maioria, especialmente, dos jovens, que por impulso decide fazer uma tatuagem. Alguns já me disseram que fazem tatuagens e põe piercings porque acham bonito, e gosto é gosto. É verdade, gosto é gosto. Todavia, como foi que vocês foram aprender a gostar de tais coisas? Não foi talvez por cobiça? Não foi querendo ser igual àqueles que não deveriam ser imitados? É uma pergunta simples, mas cortante. Por que você acha essas coisas bonitas? Você viu alguém e quis imitar, ou foi Deus quem moveu seu coração? Antes de tomar uma decisão entre fazer ou não uma tatuagem, pense bem nas suas motivações. Pense muito bem em quem você está imitando. Com quem você está querendo se parecer?
--
Depois de saber o motivo, o próximo passo é ter certeza. Está escrito: “tudo aquilo que não provém de fé, é pecado.” Tudo aquilo que fazemos, temos que fazer com a plena certeza de que, se fazemos, fazemos para o Senhor. Está escrito que tudo o que fizermos, seja viver, seja morrer, comer ou beber, tudo que fizermos, devemos fazer para o Senhor. Mas como se come e bebe para o Senhor? Como se vive para Deus? Simples. Faça tudo o que tiver que fazer com gratidão e singeleza. Quando trabalhar, trabalhe como se estivesse trabalhando para o próprio Deus. Tudo que fizer, faça na certeza e alegria de que Deus está em você (se é que Ele está) se alegrando com as suas decisões. Escolha aquilo que Jesus escolheria. Faça como Jesus faria. Coisas simples. Uma criança pode entender, mas são ensinamentos que carregam muita sabedoria e poder.
--
Viver por fé é isso! É fazer tudo o que devemos fazer todos os dias levando a vontade de Deus em conta. Você não precisa fazer coisas a mais para viver para Deus, você apenas deve fazer tudo aquilo que você sempre precisou fazer, mas dessa vez com o coração no lugar certo. A faxineira que esfrega a parede do banheiro da casa do patrão e um músico que compõe uma sinfonia fazem a mesma coisa se fizerem para Deus com gratidão, singeleza e excelência. Não estou supervalorizando nem desprezando o serviço de um e outro, pois humanamente falando, sim, possuem valores diferentes, mas espiritualmente falando, se forem feitos por um coração devoto a Cristo, os dois serviços têm o mesmo peso de glória.
--
Quando você se diverte, Jesus poderia se divertir com você e rir daquilo que você ri? Cristo poderia participar das suas rodas de amigos? Deus poderia observar um dia de trabalho seu e ter apenas elogios? Quando você vive, Deus é glorificado e honrado pela sua vida e escolhas? Essa é a certeza de fé que temos de ter e da qual Paulo estava falando em Romanos quando escreveu que tudo aquilo que não provém de fé, é pecado. Você tem certeza de que a tatuagem ou o piercing que está prestes a colocar é para honra, glória e bom testemunho do nome do Pai?
--
Tudo aquilo que você faz sem poder dizer de boca cheia e em plena certeza, “o que faço, faço por amor a Cristo”, é pecado e deve ser evitado ou repensado. Então se você não tem certeza do que está fazendo, não faça, pois também está escrito: “Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé.” O assunto em questão era a comida, mas vamos substituir pelo verbo tatuar. “Mas aquele que tem dúvidas é condenado se tatuar, porque o que faz não provém de fé.” Então siga a dica de trânsito, “na dúvida, não ultrapasse”. Se você não tem certeza absoluta, não faça. É melhor sofrer a expectativa frustrada do que a dor do arrependimento.
--
E por último ainda há a questão do escândalo. Está escrito: “Eu sei e estou persuadido, no Senhor Jesus, de que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura. Se por causa de comida, o teu irmão se entristece, já não andas mais segundo o amor fraternal. Por causa da tua comida, não faças perecer aquele a favor de quem Cristo morreu.” “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”. “Assim pois...não destruas a obra de Deus por causa de comida. “É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]. A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus.”
--
Se há versículos mal entendidos na Bíblia, esse é um deles! Por favor, esse versículo não está liberando geral! Paulo estava tratando de questões subjetivas, não explícitas. Há pecados claros e declarados, mas há também coisas do nosso dia a dia que não sabemos se é pecado ou não. Paulo estava nesse capítulo falando sobre essas questões triviais e subjetivas. Esse versículo não está falando de prostituição, roubo, ou algo pior, sobre esses assuntos há longos capítulos a respeito, esse versículo está falando de “comida e bebida”, trivialidades e subjetividades. Os romanos queriam saber se podiam ou não comer carne e beber vinho, pois uns diziam que comer carne era pecado, outros diziam que não. Como resolver o assunto? Para Paulo, simples: “é pecado para quem assim o considera.” Então se você está persuadido de que comer carne é errado, não coma. Se você está convicto de que beber vinho é pecado, não beba. Se você tem certeza de que tatuagem é pecado, não tatue. “Mas a fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus”; e se você crê assim, então viva de acordo com o que você crê, e diante de Deus, não se tatue, mas também não oprima os outros com a sua decisão. “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas paz e alegria no Espírito Santo”; porque o reino de Deus não consiste em não comer carne, ou não beber vinho (ou não se tatuar). Ser um cristão não consiste em não fazer isso e não fazer aquilo, mas sim em ter paz e alegria no Espírito de Deus. E lembre-se de mais uma coisa, “É bom nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]”; é bom não fazer nada que ofenda ou escandalize o seu irmão.
--
Não faça nada que venha a enfraquecer a fé do seu irmão! Por exemplo, se você bebe cerveja, mas o seu cônjuge acha isso um escândalo, então pare de tomar, por amor a ele. Se você quer fazer uma tatuagem e o seu parceiro ou seus pais acham isso um ultraje, não faça. Não vale a pena brigar por coisas assim. Não vale a pena discutir e brigar por causa dessas coisas triviais, então para que no final todos fiquem felizes, você que é mais velho, mais sábio, mais maduro, evite o escândalo. Não dê motivos de tropeço para os mais fracos na fé. Se você sabe que o seu irmão vai pecar se vir você fazendo algo que ele considera pecado, evite fazer tal coisa. Assim os dois podem conviver em paz.
--
Agora concluo. É pecado tatuar e colocar piercing? (1) Ora, você pode me dizer com certeza absoluta, pode afirmar com convicção no Evangelho que se você fizer uma tatuagem ou colocar um piercing Deus não terá nada contra a sua atitude?Você pode me garantir que a sua decisão está baseada no seu amor por Deus? Se sim, vai fundo. 
--
Por isso que recomendo aos novos na fé a não fazerem tatuagem, pois se a maioria não tem nem certeza do que farão amanhã, como poderão ter certeza a respeito de uma marca permanente? Uma decisão dessas requer maturidade. Uma decisão de fé dessas requer muita intimidade com Deus em oração. Tomar uma atitude dessas com tanta convicção requer muita maturidade espiritual e muito conhecimento do Evangelho. Se você está querendo fazer uma tatuagem, ou se já tem uma e quer fazer outra, pense bem. Converse com um cristão mais velho. Converse com um filho de Deus que já tomou essa decisão de fazer ou não. Pense bastante e ore bastante. Não seja afobado nem precipitado ao tomar decisões assim importantes.
--
Pessoalmente falando, não faria tatuagens nem piercings. Não por motivos teológicos, mas por não tolerar a dor - e ser muito peludo :) 
--
Antes de tomar essa decisão, pergunte-se: (1) Por que eu quero fazer uma tatuagem ou botar um piercing? O que me motiva a isso? (2) Eu tenho uma certeza Bíblica e absoluta de que Deus apóia a minha decisão? (3) Quais são as consequências espirituais e terrenas dessa minha decisão? Alguém ficará escandalizado? Mesmo assim vale a pena? Com essas três perguntas respondidas, tome a sua decisão.
--
Guilherme Adriano

Comentários

Nicolle e Jader disse…
Bom, muito interessantissimo o seu post, meus parabéns!

Mais posso dar minha opinião também?
Eu acredito em Deus e adoro a Jesus, mais não acho que eles me julgarão por eu ter tatuagem e piercings, e sim pelos meus atos e conceitos. Eu acho que o que vale é minha alma
e não o meu corpo, ele só está aqui como casta, como um receptáculo, se minha alma é pura
é isso que contará no juízo final.
Eu marquei meu corpo, não minha alma.
Do jeito que vc disse, pecar é satisfazer nossos desejos, então quando como, estou pecando, quando bebo, estou pecando.

Quero que me desculpa se te ofendi, ou fui contra suas crenças
mais como pode comentar
queria dar o ponto de vista de alguém que possui uma tatuagem e Ama Deus.
Guilherme disse…
Muito obrigado pelo comentário...

De modo algum, comentários não ofendem, é sempre bom conversar.

Bom, ter desejos e satisfaze-los não é pecado, dependendo do desejo.
A Bíblia deixa claro que há certos desejos que nunca deveriam ser alimentados. Há várias listas desses desejos e sérias acusações contra eles.

Comer e beber não estão entre eles.

Está escrito que "não devemos satisfazer as cuncupiscência da carne", e também que "os nossos desejos militam contra os desejos do Espírito Santo". Cristo nos disse para "negar-se a si mesmos e segui-lo".

Está escrito que "os nossos desejos nos levam à destruição", enquanto a vontade de Deus "é boa e perfeita" e "verdadeiramente satifaz".

Então por favor, não quero dar de entende que ter desejos é errado, muito menos que satisfaze-los também é. Todavia, há certos desejos que nunca devem ser satisfeitos, pois produzem a morte interna e externa; nos afastam de Deus e profanam a nossa alma.

Como disse no começo do post, não tenho absolutamente nada contra quem faz tatuagens ou marca o corpo. Se a pessoa sabe o que está fazendo, e com isso, quer imitar o Senhor, quem sou eu para julgar? O papel da Igreja não é julgar, mas ensinar e adorar.

Você está mui certa quando disse que "o que mais vale é a alma", mas também está escrito isto: "Acaso não sabeis que sois templo do Espírito Santo, e que Deus vive em vós?"

Também está escrito "que nós somos templos sagrados do Espírito Santo, e não fomos chamados a profanação, antes a honrar Cristo com cada membro de nosso corpo".

Fazer uma tatuagem, biblicamente falando, não aparenta ser pecado, mas querer copiar o mundo sim.
Eu, pessoalmete falando, não creio que toda marca no corpo é pecado, claro que não, como você mesma disse, marcar a corpo não é marcar a alma, conheço cristãos sérios que fizeram! Mas quando nós desejamos ser como o mundo nos manda ser, daí pecamos.

A questão toda do post não foi a tatuagem em si, mas sim a intenção de faze-la.

Está escrito, "tudo o que fizer, faça para a Glória de Deus".

Obrigado pelo comentário.
Raphael disse…
Amigo tenho a intençao de fazer um tatuagem , mais a uma tatuagem com o nome de Jesus em Habraico, tenho um desejo muito grande. Sera que é certo ? Honrarei a Deus? Grande abraço a sou evangélico.
Guilherme disse…
Se você fosse meu filho diria não. Eu digo sempre que não, não sou a favor de marcar o corpo com tatuagens, não porque está escrito na Bíblia, o que na verdade, não está, mas porque quem se tatua geralmente quer imitar alguém do mundo que o fez. E nisso tenho problema. Querer ser igual a os do mundo.

Mas, é você quem sabe.
Day disse…
Acredito que tattoo´s e piercings não afastam ninguém de Deus nem profana a alma.
E sobre a questão de imitar o mundo, isso varia muito de que lado se vê. Me parece que seu imitar é "ter/fazer" coisas iguais, porque sendo assim, realmente, é impossível encontrar alguém aqui que não tenha algo que o outro possua. Mas, como o que nos difere, pecadores arrependidos, dos que não se arrependeram de seu pecado, é o posicionamento de vida e mente, então, querer ter ou não ter algo não é necessariamente imitar. É querer ter e saber por si que a intenção de cada coração em cada ato deve glorificar a Deus.
kadoch disse…
Olá irmão, paz seja convosco!!! Quero agradecer por poder compartilhar palavras tão sabias, que vem do trono da glória de Deus. A palavra de Deus diz que, conselhos são como aguas profundas no coração do homem, e o homem inteligente a pôe para fora e também diz que aguas profundas são palavras que saem da boca do homem e a biblia também diz que o homem enviado por Deus, fala suas palavras e Deus não o dá espírito pela metadade João 3:34. Basta apenas ver que toda sua citação está repleta da palavra (Versículo da bíblia)de Deus, por este motivo cheia de sabedoria. Irmãos somente compreendemos suas palavras quando reconhecemos que estamos errando. Amar a Deus de todo seu entendimento como disse Jesus, quer dizer que devemos procurar entender quem é este Deus, sua palavra, ou seja sua vontade. Muitas vezes não deixamos a vontade da carne de lado, por que ainda não o entendemos e a bíblia diz que este entendimento se revelam aqueles que o buscam. Deixar a vontade da carne para obedecer a Deus, requer renuncia, sacrifício e quando não fazemos isto verdadeiramente não estamos em JESUS. Quando nossos pais dizem que não devemos tatuar ou colocar piercings e não os obedecemos, não estamos honrando nossos pais, muitas vezes fazendo eles instrumentos de escândalo.A palavra de Deus diz que o 1o. Mandamento com promessa é honrar nossos pais e se não conseguimos honrar, amar nossos pais, será que realmente amamos a JESUS??? Quando desonramos nossos pais será que não desonramos a DEUS? será que não realmente não estamos marcando nossa alma em desobediencia diante de DEUS. Que DEUS continue te abençoando hoje e sempre. Paz