Namoro



-->
[Este post estava como um grande peso no meu coração; e ainda está. Espero que as conclusões que chego durante as minhas orações possam ser úteis. Que o Espírito de Deus nos ajude]
--
Quero tratar da questão do namoro, mas antes de chegar nela, gostaria de deixar alguns termos claros!
--
Algumas vezes já ouvi o termo “namoro cristão”, como se nós cristãos tivéssemos uma forma gospel de namorar; aliás, não só de namorar, mas de fazer tudo. É comum referir-se às atividades de um cristão colocando a palavra “cristão/gospel” atrás do termo mencionado. Por exemplo: Música cristã, festa cristã, casamento e namoro cristão, etc. Ora, a música não pode ser cristã! Música é música! Festas também não podem ser cristãs, são apenas festas! A diferença está no tipo de pessoa que festeja ou que cria a música; a diferença está no “como” se festeja e no “para que” se cria música. Não existe música cristã, mas existem cristãos fazendo música! Não existem festas cristãs, mas existem cristãos festejando! Entende a diferença? Cristão não é um rótulo, é um tipo de pessoa, portanto não se aplica a coisas, apenas a gente.
--
Repito: Cristão é um termo que define um tipo de pessoa, e não se aplica a coisas. Mas por conseqüência, as atividades de um cristão não se tornam “atividades sagradas” ou “atividades cristãs”. Não creio nesta divisão de “secular” e “sagrado”, pois Deus criou “tudo e viu que tudo era muito bom”. Nós, homens, destruímos o propósito de Deus para a criação. Em termos Bíblicos, nós profanamos a nós mesmos e à criação. Portanto a diferença não reside nas terminologias “sagrada/secular”, mas na motivação; na intenção por detrás de cada ato.
--
Jesus Cristo não nos ensinou a fazer todas as coisas de uma maneira “cristã”, Ele nos ensinou a fazer todas as coisas da forma certa! As coisas não possuem uma natureza “sagrada” e outra “secular”. Não! Tudo possui apenas uma natureza, e nós desfrutamos dela ou da maneira certa ou da errada. Assim simples! Não existe música cristã e música secular, apenas músicas feitas por filhos de Deus e músicas feitas por filhos do mundo; músicas que têm o propósito de elevar nossos pensamento, e músicas que têm o propósito de excitar a nossa mente e a nossa carne; músicas que encantam e músicas que escravizam e nos levam à profanação.
--
Creio o mesmo para com o namoro. Como citei antes, não acredito em “namoro cristão”. Namoro é namoro! Apenas há diferentes propósitos nele. Uns namoram para que o ato sexual seja socialmente conveniente e aceitável, outros namoram porque se amam. Antes de aprofundar essa questão, quero dar uma olhada na palavra em si.
--
Na verdade, biblicamente falando não existe diferença entre namoro, casamento e sexo. Para o mundo sim, há muita diferença entre os termos, para um cristão não. Um filho de Deus que quer sexo quer um relacionamento afetivo; quem quer esse relacionamento quer namoro; quem namora quer casar; quem casa, faz sexo...e assim é o ciclo. No fim, esses termos para um filho de Deus são indissociáveis.
--
Veja bem, o mundo define namoro como: relacionamento experimental; relacionamento “amoroso” descompromissado; um test-drive. É aquilo que se faz depois do sexo e antes do casamento.
Sexo: o propósito inicial e final do relacionamento; o começo o meio e o fim do relacionamento, tudo gira em torno dele.
Casamento: o mal necessário; para tornar um relacionamento longo aceitável aos olhos da sociedade, se casa.
--
Para um filho de Deus, o namoro é a aspiração do casamento, e o sexo é a sua consumação. No mundo você pode fazer sexo sem amar e namorar sem casar. Por isso que o mundo está insatisfeito e viciado como está. Faz tudo pela metade! Sexo sem amor; sem cuidado; sem carinho, não satisfaz. Alivia, mas não satisfaz! A psicologia prova o meu ponto. Sexo sem amor (e amor é compromisso para com os sentimentos alheios) é como o fogo descontrolado: é emocionante, mas destrói tudo. Namoro sem perspectiva de casamento é como dizer: “Eu quero você para sempre até quando eu não quiser mais!”. E casamento sem namoro e sexo, bom, é o que mais temos hoje em dia; é a forma de relacionamento mais terrível e abominável que existe. Não é por nada que o casamento é vítima de grande maioria das piadas brasileiras.
--
O mundo não descobriu o prazer do sexo, a doçura do namoro e a alegria eterna do casamento. Cristo nos ensinou, mas o mundo não as conheceu.
--
Volto à argumentação inicial e repito: não existe namoro cristão e namoro secular, apenas filhos de Deus namorando e filhos do mundo namorando.
--
Deixe-me falar como filho de Deus o que se espera do namoro. Quando Jesus nos disse “Amais uns aos outros como eu vos amei” Ele estava nos dando uma lei para seguirmos em tudo o que fizéssemos. No mundo, porém é exatamente o contrário. Eu lembro exatamente como eu era antes de Cristo. Eu buscava uma namorada para me fazer feliz; para fazer as minhas noites menos solitárias e os meus dias menos tristes. Eu queria uma mulher que me fizesse feliz. Ao ler a Bíblia descobri que esse tipo de atitude não sustenta relacionamento nenhum, pelo contrário, destrói. Enquanto “eu” quero ser feliz; “eu” quero ter uma mulher; “eu” quero me satisfazer; “eu” isso e “eu” aquilo; enquanto a minha atitude for essa não terei sucesso nenhum em qualquer relacionamento, seja amoroso seja amistoso. Enquanto “eu” for o centro da minha vontade e o objetivo final da minha alegria, nunca conseguirei ser feliz. Imagine-se namorando alguém que se importa mais com a própria felicidade e contentamento do que qualquer outra coisa. Agora imagine duas pessoas assim namorando. É como se duas sanguessugas estivessem se beijando; cada uma tentando sugar mais da outra. Os relacionamentos que não estão centrados na cruz de Cristo são assim, são relacionamentos sanguessuga; não são baseados no amor, mas na paixão; não são baseados na entrega de si mesmo, mas na absorção do outro.
--
Basicamente, o namoro que não é centrado na cruz de Cristo não é baseado no amor, e sim na paixão. Segundo a Bíblia, “o amor não procura os seus próprios interesses”, mas o interesse do outro, enquanto a paixão é consumidora. O namoro no mundo é: Estou procurando alguém para me dar amor. Enquanto para nós, os filhos de Deus, é assim: Estou procurando alguém para dar todo o meu amor.
--
Não estou procurando uma mulher que me faça feliz, estou procurando uma mulher para fazer feliz! Cristo me deu muito amor, muita paciência, muito carinho, muito cuidado, muita lealdade e muita alegria. Agora estou procurando alguém que queira dividir isso tudo.
--
O foco do namoro, casamento e sexo, da forma certa, nunca é para se satisfazer, mas para satisfazer o outro. O foco em questão para Jesus Cristo sempre foi o outro. “Amei os outros...amai os outros...amei os outros, como EU AMEI A VÓS”. Cristo não procurou sua felicidade nem seu próprio conforto, antes, Ele serviu a todos incondicionalmente e disse: “agora façam o mesmo”.
--
Apenas morrendo para si mesmo é que você pode verdadeiramente amar outro alguém.
--
(Digo agora como homem para os homens) Apenas morrendo para suas vaidades, seus objetivos, suas alegrias, seus sentimentos e suas prioridades é que você pode verdadeiramente se preocupar com uma mulher e fazê-la feliz. A Bíblia usa o exemplo de Jesus e da Igreja para exemplificar um relacionamento saudável, está escrito: “Homens amai vossas mulheres como Cristo amou a Igreja, e mulheres, se submetam a seus maridos como a Igreja se submete a Cristo”. Esse versículo é motivo de muita controvérsia, não vejo o porquê! Muito simples! Preste bem atenção! Como devem os homens amar suas mulheres? “Como Cristo amou a Igreja!”. E como Cristo amou a Igreja? Dando a sua v-i-d-a por ela! Cuidando; aconselhando; acolhendo; tendo paciência; demonstrando carinho; perdoando; dando exemplo. Cristo fez tudo isso pela Igreja, agora vós homens, façam o mesmo! Dêem a suas vidas pelas suas mulheres! Vivam para elas; sejam o que elas precisam que vocês sejam: homens!
--
Como devem as mulheres tratar seus maridos? “submetendo-se a ele como a Igreja se submete a Cristo”. Veja bem, não há nenhum machismo nesse versículo. Responda-me: por que a Igreja se submete a Cristo? Por que Cristo a amou primeiro! A Igreja apenas reage ao amor de Jesus. A Igreja não se submete por obrigação, mas por amor! Ninguém é forçado a ser filho de Deus, e sim chamado a ser; convidado. Cristo amou primeiro, e a Igreja respondeu ao seu amor incondicional e sacrifical! Uma vez perguntei a minha irmã o que ela achava desse versículo sobre “submeter-se ao próprio marido”, e ela me respondeu algo que me chocou, ela disse: “Mas eu tenho prazer em me submeter ao meu marido! Quem não gostaria de se submeter a um homem maravilhoso como o meu?”. Este versículo não pede para as mulheres se submeterem aos maridos maus. A ordem do versículo é esta, primeiro o homem ama depois a mulher responde! É sempre assim. Cristo amou, a Igreja respondeu. O homem ama, e a mulher responde. A Igreja só existe, porque Jesus é o Cristo. A mulher só pode amar quando o homem ama primeiro. (E lembre-se, amor não é sentimento, amor é decisão; é compromisso; é promessa; é obrigação. Os sentimentos se ajustam de forma adequada dentro de um relacionamento amoroso, já um relacionamento baseado na emoção é inconstante e tortuoso)
--
Para que um namoro; casamento dê certo, é preciso que os dois estejam pensando da mesma forma, se não uma das partes cederá. Pense: Se um der amor e o outro tomar amor, um dia o que dá não terá mais nada e o que toma terá tudo. Portanto os dois devem estar dispostos a se darem em amor; a se esvaziarem de si mesmos e se entregarem constantemente e incondicionalmente um ao outro. Os dois devem sempre pensar mais no outro do que em si mesmo. Imagine que maravilha não é acordar ao lado de alguém que se importa mais com você do que ele mesmo! Por isso a cruz de Cristo deveria ser o ponto de partida de todo relacionamento, pois lá o seu “eu” morre numa cruz, e assim aparece o espaço para você cuidar do “outro”.
--
Concluo com isto: não existe namoro cristão e namoro secular, apenas namoro da forma certa e da forma errada; apenas um namoro com objetivos sérios e outro com objetivos carnais. Namoro da forma certa não visa o próprio interesse, mas o do outro. Amor verdadeiro só se encontra num relacionamento à sombra da cruz, de outra forma, o seu relacionamento será uma cruz!
--
Guilherme Adriano

Comentários

Anônimo disse…
cara esse cometario e bom, uma coisa q me chamou muito atençao eh q o Amor n eh sentimento e decisao xD
Éder Corrêa disse…
matou algumas de minhas duvidas , pena que os relacionamentos não são criados na base da cruz e acabam aos poucos , deixam familias , lares , deixam marcas e um grande vazio ...


que Deus abençoe a nós
Eliziane disse…
Puxa Guigo, ainda na semana passada estávamos "debatendo" com alguns amigos sobre este assunto: Amor X Paixão, Razão X Emoção ...
Gostei muito do que você expôs, muito persuasivo pois está embasado, biblicamente ainda. Não são teorias vãs e malucas, são verdades que passam batidas aos nossos olhos!
Obrigada por compartilhar conosco!

Um grande abraço, saudade de conversar contigo.
Day disse…
Caramba, belo post.
Verdadeiramente verdadeiro.
Afinal, quem mais além do Próprio amor para nos ensinar a amar?!

Que Deus nos ensine ...
wilsonchagasjr disse…
é um assunto que ainda é muito delicado para as estruturas da "igreja convencional", há quem queira falar sobre isso, porém não encontra a simplicidade da forma como você usou (eu sou um deles)... parabéns pelo post.

Wilson Chagas
caya disse…
Bem legal! =]
Já lêsse algum livro do Jaime Kemp sobre o assunto? Recomendo o/ Continue escrevendo =)
Anônimo disse…
Muito muito bom, objetivo, claro.Realmente sabe do que esta falando!
Parabens!
Jenny disse…
Fazia tempo que não vinha no seu blog, dei uma lida meio por cima em todos os post que ainda não tinha lido, mas parei e li esse inteiro.
Choquei.
Tudo que vc escreveu realmente é verdade, nunca tinha encontrado uma visão tão verdadeiro quanto ao namoro.
Você é muito abençoado rapaz.
Anônimo disse…
Não estou procurando uma mulher que me faça feliz, estou procurando uma mulher para fazer feliz! Cristo me deu muito amor, muita paciência, muito carinho, muito cuidado, muita lealdade e muita alegria. Agora estou procurando alguém que queira dividir isso tudo.

Com essa frase você resumiu tudo o que sinto em relação ao assunto "AMOR".
PARABÉNS !!
DEUS ABENÇOE PODEROSAMENTE MAIS