A revolta do pinto


Obs: Não faz muito tempo estava conversando com um amigo no ônibus, voltando da faculdade, e esse me disse que “meus textos a certo ponto ofendem as pessoas”. Deixe explicar. Geralmente escrevo sobre situações que presencio e que me deixam indignado, portanto grande parte da minha indignação acaba sendo passada para o texto, mas isso não significa que a minha intenção é ofender, então não se sintam pessoalmente ofendidos, pois não é essa a intenção, mas se alguém por ventura ficar intelectualmente ofendido ou espiritualmente confrontado, então consegui o que queria! A minha intenção não é ridicularizar os pontos fracos de uma teoria ou comportamento, pois isso não prova nem desaprova nada, aliás, isso é coisa de ateus e simpatizantes, mas prefiro encarar a realidade como a presencio todos os dias.


Acabei de ler um livro, o qual recomendo a todos aqueles que falam inglês, “What’s so great about Christianity”, de Dinesh D’Souza, Filosofia e apologética Cristã, e desse livro retirei algumas idéias e observações que gostaria de comentar.


Em um dos capítulos o autor explora alguns dos motivos mais comuns para alguém enojar a doutrina de Jesus e abraçar o ateísmo, e vice versa. Gostaria de dizer que, por experiência própria e convívio, posso afirmar que os motivos que serão apresentados não levam, somente, ao ateísmo, mas levam também à rebelião declarada contra “o tirano Deus cristão”, pois não se trata apenas de negar a existência de Deus, mas sim de preferir virar o rosto e não se relacionar com Ele por motivações egocêntricas.


O autor mostra que no fundo, o ateísmo, gnosticismo, ceticismo e outras formas de atrofiamento do cérebro, têm as mesmas motivações, que acabam se manifestando de formas diferentes e se derivando em diferentes correntes “filosóficas”, mas têm como base os mesmos motivos. Essas crenças são um resultado de um conflito de interesses, por exemplo, o ateísmo é usado grandemente como vingança contra Deus, pois uma vez que eu encontro em Deus bons motivos para ser condenado, por conveniência concluo que Ele não existe, ou se a fé nEle frustra as minhas ambições, concluo que Ele não deve se importar.


Mais alguns motivos comuns para acreditar que Deus não é Deus e se rebelar contra Ele: “Deus não me curou, então Ele não existe”. “Com Deus eu não posso ser tão rico quanto eu quero, então para mim Ele morreu”. “A suposta verdade Bíblica condena o meu estilo de vida e os meus prazeres, portanto o cristianismo é um mito, e para mim não serve”. Então buscando alternativas de espiritualidade que se encaixam com seus gostos e pecados favoritos, cada um surge com sua verdade (e como escrevi no post “Curiosidades”, todas as verdades são verdadeiras, menos as de Jesus Cristo).


Entendendo que a natureza do homem é adúltera, imoral, falsa, gananciosa e violenta (e para perceber isso não precisa fazer muito esforço), é que pode se entender o porquê que o Darwinismo é tão atraente. A evolução natural das espécies, de Darwin, exclui a noção de humanidade superior/restaurada e de propósito na espécie humana, nos colocando no mesmo patamar dos animais, excluindo assim a necessidade de uma moralidade e auto-controle, culpando todos os nosso defeitos nos instintos, sob os quais não temos muito controle, pois estes são ditados pelos nossos genes egoístas que só pensam em sobreviver e se multiplicar.


Em outras palavras: Não viemos de Deus, viemos de um ancestral em comum, logo não somos culpados de agir conforme o instinto inato.


Finalmente o homem achou algo/alguém para culpar pelos seus erros. “A culpa são dos genes, e não minha, eu só ajo conforme a minha natureza!”. Esse é o típico comportamento de uma pessoa que peca, entende que o que faz é errado, mas não quer admitir nem se arrepender.


Um exemplo antigo e ainda verdadeiro: “A mulher que me deste para ser minha companheira me deu a fruta, e eu comi”....”A cobra me enganou, e eu comi” (Gênesis 3. 12-13). A culpa é sempre do outro; eu errei, mas a culpa não é minha. O Darwinismo/ou qualquer outra forma de negação do Divino justifica a natureza caída que Jesus Cristo condenou, e dá vazão a todos os tipos de perdições, que são sempre justificadas pela “boa ciência”.


É Gênesis 3 se repetindo em pleno século XXI, só que no Éden culparam a serpente, hoje em dia culpam o macaco.


“Quando um homem nega a Deus, é muito provável que ele esteja pensando em seus órgãos sexuais. E se não fosse pelo único mandamento de – não adulterar— possivelmente o homem ocidental seria cristão” - - Dinesh D’Souza.


Por isso eu creio que o ateísmo e a revolta contra a religião nunca foram revoltas intelectuais, mas puramente morais! Veja o a declaração do ateu Aldous Huxlay contra o cristianismo: “...nós refutamos a moralidade porque ela interfere com a nossa liberdade sexual!”. Em outras palavras: “Nós decidimos não acreditar no Deus cristão, pois esse não nos deixa usar o nosso pinto como quisermos!”.


A revolta contra Deus, baseado nas palavras de um ateu, é uma revolta genital! A declaração de Huxlay sugere que a razão pela qual, muitos se sentem motivados a negar Deus, ou até se rebelar contra Ele, é a imoralidade sexual.


Antes de me converter, um dos motivos porque não tinha me entregado a Jesus era que eu não queria abrir mão da minha vida sexual liberal nem dos meus prazeres. A busca da verdade sobre a vida, para muitos, é uma busca de interesses. “A verdade será aquela que melhor se encaixar com o que eu estou procurando!”. Mas verdade é verdade, agradável ou não, é verdade!


Mas então como posso afirmar que eu mesmo não estou enganado, e não acabei procurando para mim uma fé que fosse conveniente? Quem garante que eu não estou acreditando e pregando aquilo que eu mesmo gostaria que fosse verdade? Simples, o cristianismo Bíblico, a doutrina de Jesus Cristo, é a coisa mais desagradável para o ser humano; é exatamente aquilo que nenhum homem quer escutar, pois me diga, quem procura com diligência a mensagem que diz: “Morra para si mesmo”, “Você não tem valor nenhum”, “Perca a sua vida e você a encontrará”, “Você merece a morte eterna”, “Tudo que há em você é destruição”, “Teus pés correm para derramar sangue”, “Do teu coração provêm todas as impurezas e maldições”, “O que você precisa é se arrepender”,”Para ter parte com Deus é preciso nascer de novo”, “A vontade do homem não é a vontade de Deus”, “É mais fácil uma corda que amarra navio entrar no buraco de uma agulha do que um rico entrar no céu”, “Queres ser perfeito, dê tudo aos pobres e me siga”. Me digam, quantos que durante a “depressão de meia idade” ou depressões profundas, procuram nessas palavras sentido e força para viver? Isso é o que prova para mim que a mensagem de Jesus, mesmo desagradável, é verdadeira, pois não mascara a realidade com eufemismos românticos e não dá analgésico psicológico, mas diagnostica perfeitamente o problema do homem e dá a solução, que não é agradável, mas que funciona, afinal, qual é o remédio eficaz que é saboroso?


O que prova para mim que não estou acreditando naquilo que me convêm, é que esse não é o tipo de mensagem que eu procurei, na verdade, é o tipo de mensagem que sempre evitei, mas que quando decidi fechar o nariz e engolir, funcionou, me livrando de uma doença que estava me matando, e agora que estou curado, e sei onde tem remédio, digo a vocês, o remédio é o sangue de Jesus, esse cura e dá nova vida.


Antes de negar ou afirmar qualquer coisa, pense duas vezes e analise suas motivações cuidadosamente. Eu desafio todos a responderem para si mesmos: Por que eu acredito no que acredito? E com essa resposta viver para o resto de sua vida, crendo e vivendo com ela, levando em consideração essa resposta antes de cada escolha.


Mais uma vez quero dizer o que disse no primeiro parágrafo, não quero ofender ninguém pessoalmente, mas estou tentando mostrar que Jesus esteve, está e sempre estará certo quando diz que: Do coração do homem provêm tudo que há de pior, e esse mesmo coração é enganoso, portanto confiar nele é loucura. Por isso Ele disse que precisa nascer de novo e ganhar um coração e uma mente nova, porque sem esses, tudo aquilo no que a gente acreditar, terá um fundo de interesse e um toque de conveniência.


Meus amigos amados, leitores desconhecidos, familiares e irmãos da fé, o que de Deus se pode conhecer está revelado na pessoa de Jesus Cristo, Ele mesmo disse que o caminho é Ele, e não há outro fora dEle. Como eu, pessoalmente, acredito que o mundo não agüenta mais muito tempo, faço esse apelo, enquanto há tempo, convertam-se a Jesus e conheçam-no, acreditem nisso, essa é a verdade que liberta, a verdade contida na Bíblia e revelada em Jesus Cristo.


Guilherme Adriano









Comentários

Hique disse…
ainda bem que você colocou bem as palavras.

eu como pessoa de religião muito presente na vida, não deixo de questionar, de pensar, de não aceitar o que seja um contra-senso, e de rir da ignorância de quem pretende saber tudo sobre Deus, ou não querer saber nada sobre ele.
Caio disse…
Sei lá guigo, acho que ta muito generalizado muitas coisas que estão ali. E toda essa certeza sobre, UM Deus é meio prepotente no mundo moderno. Até porque até hoje ninguém provou qual Deus realmente existe se é o Católico, o Protestante, o Mulçumano........ Então dizer com tanta certeza que a resposta correta para todas as coisas está num livro dito sagrado para muitos é uma generalização muito grande. Pois fazendo isso, automaticamente grande parte do mundo oriental estará no inferno, por exemplo. Mas vou parando por aqui, daria para escrever mais, mas acho que deu pra entender a idéia.
Levi Chaves disse…
Interessante reflexão Guilherme. Muitas pessoas não acreditam em Deus por razões que não são racionais. Assim como o Hique questiona, busco sempre questionar meus valores, e sempre busco saber algo a mais sobre Deus, com a certeza de que não saberei tudo(Só quando chegar A HORA kkk).
Um grande exemplo de que eu questiono é de que estou lendo o livro "Não tenho fé suficiente para ser ateu" de Norman Geisler e Frank Turek.
Abraço e visite o meu blog:
http://www.levichaves.blogspot.com

(Ainda não consigo escrever muito, mas comente no meu primeiro post"A lâmpada mágica"). Acho que amanhã vou botar outro post.
Cassia disse…
Guigo,

Suas palavras foram muito sábias.
Felizmente DEUS conheceu a nossa cegueira quanto ao nosso estado desgraçado e nossa incapacidade de nos transformardos por conta própria. Graças a Deus que apesar de SANTISSIMO Ele é misericordioso e insiste em esperar pelo nosso arrependimento.

Cássia
Anônimo disse…
Ainda bem que você foi meu professor de inglês antes de te fazerem essa lavagem cerebral (Y)
Este comentário foi removido pelo autor.
Sugiro apenas isso: conheça o que critica. Criticar um espantalho é criticar a própria imaginação pobre.

Talvez se conversássemos poderia te dizer que, dependendo de como entendemos a palavra lavagem, não estou tão louco assim.

Sempre se lembre de que a expressão "lavagem cerebral" é relativa ao signficado que se dá à palavra "lavagem", pois a expressão, por ser ambígua -lavagem também é comida de porco-, pode ser um tiro no pé daquele que a profere visando humilhar o outro.

Bom, não sei quem é, mas se foi meu aluno, sabe que nunca fui bem da cabeça...mas me consolo em saber que os loucos da história foram os grandes; fico do lado deles e afirmo as insanas palavras de Jesus: Eu sou o caminho.

Ps.: não sou evangélico. kkkk